Início Blog Por que investir na felicidade dos seus colaboradores?

Por que investir na felicidade dos seus colaboradores?

Entenda o que é a felicidade, como medir, como se relaciona com a cultura e quais impactos tem na sua empresa

Atualizado em
Por Livia Barreto Silva

Felicidade

Mas, afinal, o que é felicidade?

Muitos filósofos e pensadores da Grécia Antiga já se dedicavam a buscar entender o que é a felicidade e qual a importância dela. Apesar de tanto interesse, ainda é difícil definir o que é felicidade.

O dicionário Oxford traz a definição a seguir:

Estado de uma consciência plenamente satisfeita; satisfação, contentamento, bem-estar.

Dicionário Oxford

Mas felicidade pode significar coisas diferentes para cada pessoa ou população. Na Psicologia, chamamos de experiência subjetiva. A maneira como enxergamos o mundo, lidamos com as coisas, além da nossa predisposição genética são variáveis que influenciam a construção do nosso bem-estar. Por isso, pode divergir de pessoa pra pessoa. É importante cultivar hábitos e comportamentos propositais que irão contribuir para a sua felicidade.

O trabalho

Felicidade e trabalho podem andar juntos?

A felicidade no trabalho é uma temática que vem sendo amplamente discutida, inclusive na Psicologia. Pesquisas recentes indicam que a nossa qualidade de vida pode estar relacionada também com a satisfação no trabalho, além de outras variáveis relacionadas ao ambiente ocupacional.

Mas como isso interfere no cotidiano de trabalho? Fazendo algumas buscas, descobrimos resultados muito interessantes e que nos motivam a investir na felicidade do nosso time! Descobrimos que a felicidade dos colaboradores:

  • aumenta em 37% o número de vendas (Shawn Archor);
  • diminui 51% da rotatividade dos colaboradores (Gallup);
  • + 300% nível de inovação (Harvard Business Review);
  • + 43% produtividade (Hay Group) e
  • + 33% rentabilidade da empresa (Gallup).

A felicidade no trabalho é uma via de mão dupla! Um time mais feliz é mais engajado, mais produtivo e, por isso, tem ideias mais inovadoras, contribuindo para além de sua obrigação. Como consequência, temos colaboradores que atrasam menos e faltam menos ao trabalho.

Também ocorre diminuição de turnover (rotatividade) de colaboradores, o que contribui para a saúde da empresa. Essa felicidade é contagiosa; quem estiver ao redor do time também será beneficiado! Como resultado, a empresa só tem a ganhar.

Como ter um time mais feliz?

Já falamos aqui a importância de ser ter uma cultura organizacional. E qual é a relação da cultura com a felicidade?

Ter uma cultura bem estabelecida significa ter todos cientes do que podem esperar da empresa e do que ela espera de todos. E, quando se tem um time alinhado com a cultura definida, características como pertencimento, engajamento e motivação são sentidas por todos, resultando em maior produtividade e felicidade!

Mas como medir essa felicidade no trabalho?

Existem muitas ferramentas disponíveis no mercado que oferecem métricas interessantes para empresas. Mas, na nossa experiência, sentimos falta de algumas coisas.

À medida que evoluímos nosso método, percebemos que era necessário medir de fato a FELICIDADE, afinal, ela é o cerne de todo o trabalho. Sempre nos preocupamos com a felicidade de nossos colaboradores, parceiros e clientes.

Então, nos aprofundamos nos estudos de métodos de pesquisa já consolidados para nos inspirar. Foi quando nos deparamos com as pesquisas de clima organizacional.

Pesquisa de clima

A pesquisa de clima é feita com o intuito de mensurar o engajamento dos colaboradores e as suas percepções sobre a gestão da empresa. Desse modo, fornece um diagnóstico mais global e generalista sobre diversos indicadores. Em geral, ela é feita anualmente ou a cada dois anos. Por ser uma pesquisa mais longa, exige certa dedicação dos colaboradores.

Em conclusão, vimos que a pesquisa de clima apresentava alto nível de complexidade e levava certo tempo para ser implementada e ter os resultados analisados. Por isso, não era o modelo ideal para o nosso processo. Precisávamos de um método mais rápido e simples, que trouxesse respostas logo. Foi quando descobrimos as pesquisas de pulso.

Pesquisa de pulso

A pesquisa de pulso é semelhante à pesquisa de clima por oferecer um diagnóstico sobre indicadores importantes da empresa. Mas, diferem nos quesitos complexidade e velocidade.

Enquanto a pesquisa de clima se propõe a avaliar muitos indicadores de diferentes áreas, a pesquisa de pulso foca em questões mais pontuais e fáceis de identificar. Por exemplo, se os colaboradores encontram propósito no trabalho que executam ou se sentem que há espaço para crescerem dentro da empresa.

Assim, a pesquisa de pulso é mais curta (no máximo, dez questões) e, por isso, pode ser aplicada com mais frequência durante o ano, geralmente quinzenal (coincide com as nossos Sprints) ou mensal. Com esse retorno mais rápido, fica mais rápido entender tendências e fazer ajustes.

Método Persora

Com a nossa intensa busca em proporcionar um ambiente de trabalho mais feliz e alinhado com os princípios da cultura organizacional, desenvolvemos para a Persora o método de pesquisa que traz o melhor das pesquisas de clima e de pulso. Nos inspiramos na Gallup, empresa americana com mais de 80 anos no mercado de pesquisas de opinião, que provê análises e dá assessoria sobre comportamento dos colaboradores.

Hoje, na Persora, avaliamos indicadores estratégicos sobre a empresa, como liderança e ambiente de trabalho, e sobre os colaboradores, como felicidade e desempenho. Como já dissemos, colaboradores mais felizes tendem a ser mais engajados no ambiente de trabalho. Similarmente, uma pesquisa da própria Gallup indica que este engajamento retorna para a empresa até 21% a mais em lucros.

Um time mais feliz

Agora você já sabe a importância de cultivar a felicidade no seu ambiente de trabalho. Confira o que gestores que investiram na felicidade do seu time pensam sobre o tema:

Uma equipe que se conhece, que se respeita, é muito mais feliz. E uma equipe mais feliz é muuuito mais produtiva.

Naiara Galliani

As pessoas começaram a se comunicar de forma eficiente, melhorando o
convívio e os projetos começaram a andar melhor.

Luiz Baptista

Foi uma Jornada que trouxe o entendimento dos perfis comportamentais, me ajudando a entender meu time, ajudando o time a se relacionar melhor, aumentando claramente a performance das empresas do grupo. O mapeamento e a definição da Cultura Organizacional tiveram um impacto profundo, uma mudança de rumo, com depoimentos positivos de todo o time. Foi uma mudança que extrapolou a vida profissional de cada um, impactando na vida pessoal também. Os resultados que atingimos de comprometimento, engajamento em plena pandemia por conta desse trabalho foram incríveis. Gratidão.

Rimaldo Sá

Essa é a opinião daqueles que já começaram a investir no seu time. E você? Já começou a investir na felicidade dos seus colaboradores? Entre em contato com a gente para saber mais! Deixe seu comentário.

“A alegria e o trabalho são duas coisas sãs e que se atraem reciprocamente”

Ernest Renan

REFERÊNCIAS:

The Power of Gallup’s Q Employee Engagement Survey. Gallup, 2021. Disponível em https://www.gallup.com/access/323333/q12-employee-engagement-survey.aspx. Acesso em: 16 de Março de 2021

Deixe seu comentário


guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments